Monday, August 29, 2016

Passeando pela regiao do Minho: o Centro de Guimaraes - Parte II

Eu confesso que, antes dessa viagem, nunca tinha ouvido falar muito de Guimaraes. Mas, na visita pelo centro da cidade (que, aliás, é patrimônio da Unesco), vimos uma muralha que me deixou curiosa.

'Aqui nasceu Portugal'.
Em Guimaraes? Como assim?

E, pesquisando no Wikipedia, vem a resposta: em Guimaraes aconteceram 'em 1128 os principais acontecimentos políticos e militares, que levariam a independência e ao nascimento de uma nova Nacao'. E, portanto, a explicacao do 'Aqui nasceu Portugal' :-) Viajando e aprendendo :-)

Do Largo do Toural, continuando pela Alameda de Sao Dâmaso, se tem uma linda vista da Igreja da Nossa Senhora da Consolacao e Santos Passos.

Pelo caminho, mais fachadas fofas.

Em busca do nosso restaurante, chegamos no Largo da Oliveira. Nele se encontra...

... um prédio medieval (antiga prefeitura da cidade, com uma estátua no topo simbolizando Guimaraes) e...
... o Padrao do Salado (um arco com quatro colunas), erguido no século XIV, por Afonso IV de Portugal, para comemorar a vitória da Batalha de Salado (entre cristaos e mouros), em 1340. Ao fundo, a Igreja de Nossa Senhora de Oliveira, com o campanário ao lado.
Eta praca cheia de história!

Nas pracas e largos, vários restaurantes com mesinhas do lado de fora, em cenários cheios de charme. Mas, como estava chuviscando (tempinho sacana...), fica para outra vez :-)

Sunday, August 28, 2016

Passeando pela regiao do Minho: o Centro de Guimaraes - Parte I


Caminhando em direcao ao centro e curtindo as lindas e charmosas ruazinhas.

Chegamos no centro, mais precisamente no Largo do Toural - uma praca com várias lojas e...

... belíssimos edifícios com...

 ... azulejos coloridos.
Cada um no seu quadrado, cada um com sua cor :-)

Além dos azulejos, estátuas e...

 ... sacadinhas com flores decorando...

... as lindas fachadas!

Saturday, August 27, 2016

Passeando pela regiao do Minho: Santa Luzia Arthotel (em Guimaraes)

Em Guimaraes, fomos primeiro fazer o check-in no nosso hotel e depois dar uma volta pela cidade, procurando um lugar para almocar.

Quanto ao hotel, o plano original era ter ficado na Casa do Juncal, no centro da cidade. Pelo www.booking, eu havia reservado com 4 meses de antecedência (sim, namorido e eu adoramos planejar :-)  ). Dois dias antes, ainda em Peso da Régua, eu liguei para o hotel para perguntar se era preciso reservar o estacionamento (como o hotel fica no centro da cidade, e nos demos conta que nao havia estacionamento no próprio hotel, decidimos verificar se tínhamos que reservar algo com antecedência). Tentei duas vezes o telefone do hotel, e ninguém atendeu. No dia seguinte, tentei ligar novamente e, de novo, ninguém atendeu. Depois de uma meia hora, meu celular tocou: era o hotel, ligando de volta. O atendente nos disse que havia um estacionamento público do lado do hotel, e que nao era preciso reservar com antecedência. Mas, ele também disse que havia ocurrido um erro na nossa reserva: o quarto que tínhamos reservado nao estava mais disponível já que havia sido dado a uma pessoa que ficaria uma semana no hotel. Mas, que nao havia problemas, eles tinham outras categorias de quarto e ele podia nos realocar. Eu fiquei mega irritada: erros acontecem, mas ele nao teve a delicadeza de se desculpar - para ele, super normal ele nos realocar para outra modalidade de quarto (o hotel é bem pequeno, e o quarto que havíamos reservado era o único que realmente tínhamos gostado); segundo, pela forma como ele falou, me deu a impressao que ele decidiu dar o quarto que havíamos reservado (com 4 meses de antecedencia) para uma pessoa que ficaria 5 dias a mais que a gente - o que eu nao acho justo (pelo menos nao da maneira como foi feito). E, terceiro, super estranho ele nao atender o meu telefonema, e quando ele me ligou de volta, já saber a situacao do quarto - ou seja, no meu entender ele já havia se dado conta antes, e quis nos contar só quando já estivéssemos no hotel. De qualquer jeito, namorido e eu decidimos cancelar nossa reserva nesse hotel (o que foi feito sem custos - pelo menos isso) e, no mesmo dia, procuramos por outro hotel em Guimaraes - e assim acabamos parando no Santa Luzia, que fica 10 minutos de caminhada do centro e que foi inaugurado há pouco tempo (tudo ainda bem novinho :-)   ).

O hotel possui uma fachada antiga e uma...

... bem modernosa :-)

Quanto ao quarto, nós havíamos reservado a categoria 'Prestige'. Eu achei a coluna na frente da cama meio estranha (bloqueando a imagem da televisao), e também o quarto era meio escuro devido...

 ... a uma espécie de barras de concreto do lado de fora da janela que bloqueavam um pouco a luz e...

... o banheiro era bem bonito (feito com pedras da regiao), mas achei meio compacto para a categoria que havíamos reservado (até porque, na nossa reserva, estava escrito que havia banheira no banheiro).

Namorido e eu ficamos matutando: como nao havia banheira, será que haviam nos dado a categorai certa de quarto? Nao custa perguntar :-) Entao desci até a recepcao, mencionei que na nossa reserva estava escrito que teríamos uma banheira no banheiro, e perguntei gentilmente se ela tinha outros quartos livres na mesma categoria. Ela disse que sim, e que iria me mostrar dois quartos para que pudéssemos escolher se queríamos trocar (super gentil!). Entao lá fomos nós para o tour: o primeiro quarto tinha banheira e já era beeem maior que o quarto em que estávamos, mas a vista nao era tao legal (apesar de ser melhor do que a vista para o pátio interno). E o segundo quarto, que eu adoreeeei, era bem grande, com uma vista bonita para o edifício de azulejos a frente, e com um chuveiro enorme. A recepcionista deve ter achado que eu era uma chata: pedi para trocar de quarto porque o meu nao tinha bannheira, e acabei ficando com um que também só tinha chuveiro, hahahaha. Mas, azar: como iríamos ficar duas noites no hotel, decidi assumir meu lado 'chata' e trocar de quarto: e definitivamente adoramos!

O quarto que escolhemos. Na foto nao dá...

... para ver todos os detalhes, mas era bem grande (com várias portas de armário, escrivaninha, poltrona). E, além disso, bem claro, com uma janela e uma sacada francesa, com vista...

 ... para o prédio fofo de azulejos na rua da frente.

E o banheiro: bem maior e com uma ducha super grande. Adoramos a troca :-)

Monday, August 22, 2016

Passeando pela Regiao de Trás-Os-Montes: Parque Natural do Alvao

No nosso quinto dia no norte de Portugal, saímos de Peso da Régua em direcao a Guimaraes, parando para admirar a regiao de Trás-Os-Montes: mais precisamente, o Parque Natural do Alvao.

Ao longe, a cidade de Vila Real com a ponte da auto-estrada.

Entrando no Parque Natural do Alvao...

... a paisagem era de montanhas sem fim, com casinhas aqui e acolá.

Um legítimo espigueiro: construcoes feitas para armazenar espigas de milho, protegendo-as de galinhas ou ratos.
Lindas paisagens pelo parque, com vilarejos bucólicos e...
... corredeiras de água.

Um dos objetivos do passeio pelo parque natural era conhecer a cachoeira Fisgas de Ermelo. Num vilarejo, que parecia abandonado, namorido parou o carro para estudarmos o mapa. Quando quis ligar o carro de novo, quem disse que o carro funcionou? O motor nao queria ligar de jeito nenhum!!! E nós, no meio do parque, num vilarejo vazio, sem sinal de celular. Socoooorro!!!!!!
Depois de tentarmos por vários minutos (saudades do tempo dos carros que era preciso só dar um empurrao ladeira abaixo para eles pegarem no tranco), peguei minha bolsa e decidi bater de porta em porta no vilarejo, até achar alguém. Quando comecei a me pôr a caminho, bruuuuuuum! O carro voltou a funcionar!!!! Gracas!!!! Ficamos com uma agonia tao grande que isso voltasse a acontecer novamente no meio de um parque natural sem viva alma e sem sinal de celular, que decidimos esquecer a cachoeira Fisgas de Ermelo e irmos direto para a cidade de Guimaraes. Fica para uma outra vez....

Sunday, August 21, 2016

Sessao Restaurante (em Folgosa do Douro): DOC

Depois de passarmos uma tarde chuvosa no hotel relaxando, saímos para jantar no restaurante DOC, do chef Rui Paula.

No início da nossa ida a Folgosa do Douro, nuvens ameacadoras em Peso da Régua.

Ainda em Peso da Regua, a antiga ponte ferroviária, agora servindo somente para pedestres.

E, sim, com tanta chuva, nao é de se admirar que o Rio Douro esteja beeem largo :-)

O restaurante DOC fica do ladinho do Rio Douro, e possui um lindo terraco para os dias ensolarados.

Como as paredes sao todas de vidro, mesmo sentando do lado de dentro é possível admirar-se a linda paisagem.

Na parede, um telao mostrando a atividade na cozinha (achei meio estranho... E nao deve ser muito cômodo para os cozinheiros, que estao sob vigilância dos clientes o tempo inteiro :-)  ).

Entradinha: pipoca temperada.

Fatias de pao. O pao típico da regiao é quase sem sal - é diferente, mas nao é dos meus preferidos :-)

Para tomar, um delicioso vinho tinto da regiao: 06 Redoma Douro

Amuse-bouche: canudinhos e torradinhas, servidos num tronco original.

Minha entrada: carabineiro (tipo de camarao) no arroz e molho aioli

O tchan do camarao é comer o que está dentro da cabeca. Só que a mistura era meio marrom/cinza, e tinha um mega cheiro de comida do mar. Achei meio nojentinho, e nao experimentei :-O Nao adianta, comer o cerébro de bichanos definitivamente nao é a minha especialidade :-/

Meu prato principal: peixe dourada com truta salmonada fumada e legumes salteados.

Amuse-bouche antes da sobremesa: nao lembro mais do que era :-(

E a sobremesa: para namorido, domo de maracujá.

Minha sobremesa: trilogia de degustacao, com uma variacao dos típicos doces portugueses. Muito bom!

Para finalizar, um cafezinho acompanhado...

... de biscoitos de chocolate, fruta em conserva, pralines e caramelos.

Como namorido estava dirigindo e só podia tomar um cálice do vinho, acabamos nao termindo a garrafa de vinho e pedimos para levá-la junto. O garcom fechou com a rolha, e trouxe a garrafa nessa charmosa sacolinha :-)

O restaurante DOC fica numa localizacao muito bonita, e eu adorei o prédio. Mas com a comida nós ficamos meio decepcionados. O chef mesmo nao estava presente no restaurante (ele possui vários restaurantes, como o DOP em Portugal, ou mesmo um em Recife). Acho que faz diferenca, sim, que o chef coloque a mao na massa, e nao seja só a pessoa que cria a concepcao do menu e dos pratos.

Thursday, August 18, 2016

Sessao Restaurante (em Peso da Régua): Almoco no Quinta do Vallado Wine Hotel

Para o almoco, decidimos voltar para o nosso hotel e fazer um lanche por lá mesmo.

Quinta do Vallado: o casarao antigo (construído em 1733, pertenceu a Dona Adelaide Ferreira) com 5 quartos, e o casarao novo, integrado na encosta, com 8 quartos.

Do lado, o prédio onde sao produzidos os vinhos.

No prédio, o brasao da Quinta do Vallado.

A vista do outro lado da estrada: oliveiras tomando conta da encosta.

Para o (delicioso) almoco: bolinhos de bacalhau e...

... risólis.

Salada de namorido: folhas verdes, acompanhadas de queijo com geléia de figo.

Minha salada: folhas verdes, acompanhadas de presunto defumado e figos.