Monday, July 2, 2012

Dia 6 Lom

Saindo de Marifjøra, pegamos a estrada E55 e quando estávamos na pontinha do Lustrafjorden, pegamos uma estradinha à direita que leva até a igreja de madeira de Urnes (patrimônio da Unesco).


Saindo de Marifjøra, a água no meio do fiorde parecia 'viva'. Será essa turbulência causada por uma versao norueguesa do Monstro do Lago Ness? :-D

E55: apesar de ser uma rodovia nacional, ela é bem apertadinha :-D

Os reflexos na água sempre nos deixavam maravilhados :-)

A estradinha até Urnes é só de uma via (mas dentro do túnel havia espaco para dois carros passarem, ufa!)

Chegando em Urnes, a vista do Lustrafjorden

A igreja de madeira de Urnes, de 1150. Acabamos nao entrando porque namorido e eu somos madrugadores (inclusive nas férias :-)  ), e ela só abria para visitacao a partir das 10h30

Os detalhes entalhados na parede.

A vista da igreja (e do cemitério) era linda, com o fiorde ao fundo

Voltando pela estradinha , a Feigumfoss

Pela estrada E55, o vilarejo de Skjolden. A beira do lago, o filósofo austríaco Ludwig Wittgenstein possuía uma cabana.

Com essa paisagem...

... quem nao acharia inspiracao para filosofar? :-)

Vimos uma enorme quantidade de cascatas por todo o trecho da nossa viagem. Em algumas, parecia que a água brotava da rocha mesmo :-)

O que nao sabíamos é que a estrada E55, que vai até Lom, é a estrada mais alta do norte Europeu, passando por cima da montanha Sognefjell (1434 metros acima do nível do mar). Ela também pode estar fechada durante certas épocas do ano (devido a neve ou risco de avalanche). Se a estrada tiver fechada, há uma boom barrier (como é o nome em português? :-O  ) que é fechada para impedir o trânsito de veículos.
No nosso caso, todas as boom barriers estavam abertas e nao houve problema nenhum - só um pouco de neve caindo no meio do caminho, e isso em pleno junho!!!

Algo legal dos lugares por onde andamos na Noruega é que havia WCs por tudo que é canto: esse aqui ficava bem no alto da montanha Sognefjell, literalmente no meio do nada :-)

Neve em pleno junho: quem diria!

Alguém tá vendo um esquiador?

E agora? :-)

Imensidao branca!

 Pela estrada, mais muros de neve. 

Já na descida, e contemplando a paisagem selvagem do parque nacional de Jotunheimen.

Descendo um pouco mais, a neve comecava a ficar escassa, mas o lago...

 ... continuava congelado em pleno junho!


Linda vista de uma pequeníssima parte do parque nacional de Jotunheimen

Antes de chegar a Lom, do lado de um hotel no meio do nada, vimos esse obelisco enorme

Nao deu pra entender o motivo, mas quem sabe um dia a gente descobre :-)

Chegando em Lom, fomos primeiro visitar a igreja de madeira da cidade. Ela é uma das maiores igrejas nesse estilo de construcao, e foi fundada, aproximadamente, em 1150.

Casinhas em Lom, incrustradas na montanha. Normalmente elas sao coloridas, mas essas eram todas de madeira escura.

A igreja de madeira de Lom

Pensar que essa madeira tem quase 1.000 anos de idade!!!

Detalhe da madeira esculpida na porta dos fundos

No telhado, várias cabecas de dragoes


No interior, vigas de madeira suportando toda a estrutura.

Voltando pela E55, chegamos ao nosso hotel. Fiz a reserva pelo www.booking.com, e foi uma grata surpresa! O hotel era quase um museu a céu aberto (inclusive faz parte do Norwegian Heritage), com todos os quartos ficando em 14 antigas casas de fazenda ou celeiros.

Hotel Roisheim, com as casas de fazenda datando do século 18

O prédio principal, com a recepcao e o restaurante no térreo.

 O prédio onde ficava o nosso quarto (o da esquerda), no segundo andar. Talvez por nao ser época de férias, nós éramos os únicos hóspedes do hotel

Mais prédios abrigando quartos do hotel...

 ... inclusive esses com a construcao com os pés de cogumelos :-)

De alguns, a entrada era por trás, como a rampa usada para armazenar o feno.


Nosso quarto por dentro: dormindo como reis :-)

Num canto do quarto, uma banheira de tina. Dica: nao entrar na banheira enquanto ela nao estiver cheia, porque ela demoooooora para encher e pode ficar frio esperando lá dentro, hahaha.

O que nao era tao charmoso quanto o quarto era o banheiro: era tao apertado que, sentando na privada, era possível escorar a testa na parede da frente (mega apertadinho!). Quarto de rei, banheiro de plebeu, hehehe :-D
Outro detalhe (que eu acabei de me lembrar lendo o comentário da Silvinha): quando terminamos o banho na tina, e deixamos a água sair, eu comecei a perceber que esse pedestalzinho onde a tina estava comecou a ficar muito molhado. Olhando por baixo da tina, vimos que o caninho que deixava a água sair era solto, e tinha se deslocado do buraco por onde a água deveria escorrer. Já pensou inundar o quarto inteiro? Porque nessa tina cabe muuuuuita água! Mas foi só colocar o caninho no lugar certo e voilá: problema resolvido :-D

No prédio principal, havia duas salas que podiam ser usadas pelo hóspedes. Essa, com a lareira...

... acesa e o fogo crepitando...

... e essa segunda, também toda decorada a caráter :-)

O hotel é gerenciado pelo casal Haavard e Ingrid Hov Lunde. Ela já escreveu dois livros de culinária (o primeiro foi 'A taste of Røisheim'), e o jantar, preparado por ela, estava excelente!
 
O restaurante do hotel - a janta é servida todos os dias às 19h30

Tanto a decoracao quanto a comida pareciam ter sido feitos com amor e carinho :-)
Como protecao do prato, toalhinhas de crochê :-)


 Pao caseiro e quentinho

Manteiga, queijo feta, azeitonas e tomilho

Saleiro / pimenteiro

Primeiro prato: carpaccio de bacalhau seco com óleo de trufas

 Segundo prato: maionese de galinha com molho de sherry (e um salgadinho crocante aparecendo na frente do prato)


 Prato principal: costeletas de ovelha (eu normalmente nao sou fa de carne de ovelha, mas essa estava ótima!) com legumes diversos

 Sobremesa: um pudim de chocolate coberto por morangos, e um sorbet de laranja.

Nós adoramos o jantar, parabéns para a chef Ingrid Hov Lunde!

6 comments:

Silvinha said...

Uau, uma tina no quarto!!! Muito legal =)

Beijo!

Babisenberg said...

Lindo!!

Mikelli said...

que paisagens deliciosas! e nao da um desespero nao olhar ao redor e só ver a imensidao branca??? =) hehe acho que me sentiria minuscula. bjs!

Anonymous said...

adorei a tina!!! a paisagem com a neve fica linda... mas dá um medinho também... bjinhos, Mí

Márcia Cobar said...

Que belo passeio... Senti como se também estivesse vendo as paisagens, momento a momento, até chegar no hotel com quarto deslumbrante! Aff, que luxo Angie!
E amei a foto da maionese de galinha com aquela florzinha... Ahhh me mata de amores!
Bjim
Márcia

Nina said...

Que belas paisagens hein Angie, gente, que país lindao. E menina, que hotel maravilhoso!

cara, tenho pavor dessas estradinhas cheias de curvas, estreitas e ainda de duas maos, aqui na floresta negra, tem mt lugar assim, eu vou no carro mas nem abro o olho :-/

Bj Angie querida, tbm pro Pink e pro Floyd (serio, adoro esses nomes :-)