Saturday, June 4, 2011

Viajando pela Islândia - dia 3 - Golden Circle

No terceiro dia fomos visitar o Golden Circle, que possui as atracoes mais conhecidas (e turísticas) da Islândia: o Geysir, a queda d'água Gullfoss e o Parque National Þingvellir (patrimônio da Unesco). O acesso a todas as atracoes é gratuito!

Deixando o hotel Ranga para trás...

... com o vulcao Hekla de um lado...

... e o famoso tEyjafjalljökull de outro (quase nao dá para se ver na foto, mas ele está atrás da montanha escura, numa cor que se confunde com o céu branco-acizentado)

Uma casinha vermelha perdida na imensidao do conjunto de campos e montanhas

O famoso cavalo islandês. Para garantir a pureza da raca, nao é permitido outro tipo de cavalo na Islândia. Eles sao pequenos e robustos, e vimos váááários nos campos

E lá vamos nós...

... curtindo a paisagem...

... e aproveitando para tirar muitas fotos (como esses típicos celeiros incrustados na terra)


De Hella pegamos a estrada 1 e entao a estrada 30 em direcao a primeira parada: a queda d'água Gullfoss, com um impressionante volume de água correndo pelo rio Hvítá.

[Pausa para um curto comentário: na primeira metade do século 20, houve especulacao para criar eletricidade através do volume de água da Gullfoss. Mas isso gerou grandes protestos (teve até uma mulher que se ameacou matar) já que afetaria de maneira drástica a queda d'água, e entao a idéia foi deixada de lado, sendo que hoje a Gullfoss é protegida. A mesma sorte nao teve uma queda d'água considerada como uma das mais poderosas do mundo (sim, do mundo!): a Guaíra Falls, mais conhecida como Sete Quedas, no Brasil :-( ]

Passarelas para apreciar a queda d'água de cima e do ladinho

Gullfoss - de pertinho, o ruído da água é graaande!

A primeira parte da queda (é possível chegar bem pertinho, sobre a rocha, sem protecao nenhuma :-) )...

... e a segunda.

E lá se vai a água embora...


De Gullfoss pegamos a estrada 30 e 35 para chegar ao parque dos géisers. Aliás, a palavra géiser deriva do ilustre Geysir da Islândia!
Hoje o Geysir está repousando e raramente erupta. Mas, felizmente, ele possui um primo ativo na regiao (Strokkur) que lanca jatos de água a cada 8 ou 10 minutos. Eba :-)


Lá fomos nós em direcao ao Strokkur (da estrada já deu para ver o primeiro jato d'água)


E lá vem ele novamente, dessa vez documentado passo a passo por namorido :-)










É possível ficar bem pertinho do géiser, e a primeira vez eu levei um sustao, achando que a água fervente ia nos atingir com certeza :-) Mas, nao atravessando a linha de protecao, está tudo sob controle :-)

Linha de protecao para evitar queimaduras :-)

E lá se foi a água, sugada em um buraco, e preparando-se para jorrar novamente.

Um dos efeitos mais legais é essa cúpula azul...

... que se forma antes do super jato d'água :-)

Do ladinho de Strokkur, o primo famoso adormecido...

... que repousa tranqüilo :-)

O parque onde repousam os géisers.


Dos géisers fomos pela estrada 35, 365 e 36 até o Parque Nacional do Þingvellir (esse Þ estranho é pronunciado como 'th' na palavra inglesa 'thunder'). Ele é considerado como um dos mais importantes lugares históricos da Islândia. Um parlamento foi estabelecido em Þingvellir em 930 (!!!) e continuou lá até 1789.
Mas o fato legal mesmo da visita é poder ver novamente, de pertinho, a reparticao das placas entre o continente americano e o europeu, caminhando através de um verdadeiro canyon (dá medo que uma das enormes rochas se despreenda e caia em cima da cabeca, hehehe).

Caminhando por entre dois continentes

Vista do parque...

... com detalhe para as casinhas e a igreja ao lado.

4 comments:

Silvia said...

Impressionante! Adorei as fotos detalhando a erupção do geysir.

Beijo!

Márcia Cobar said...

Fantásticas as fotos... As vilas são tão bonitinhas :)
E a sequencia da erupção ficou 10!
Bjs
Márcia

Taia Assunção said...

Mulher, que lindo o Strokkur...acho que eu também me assustaria...rsrsrsrs.

Katia Bonfadini said...

Adorei o efeito da cúpula azul, é realmente sensacional! E que fofas as casinhas, parece um lugar tão bucólico... dá a impressão de que o tempo não passa nunca! Bjs!